Uma base de conhecimento gerencial que evidencia os melhores caminhos para a empresa.

Há muitas décadas, os alemães desenvolveram uma ferramenta universal, que tem o potencial de se adequar a qualquer empresa ou organização do planeta. A sua simplicidade é tamanha que até hoje, muitas décadas depois, ela continua sendo ensinada na maior parte das escolas de negócios do planeta.
Trata-se do ciclo de melhoria contínua (ou ciclo PDCA) que, como o próprio nome sugere, busca viabilizar o aperfeiçoamento da organização em todas as suas atividades e iniciativas.
Ora, se estamos falando de melhoria, estamos falando em menores custos, mais eficiência, expansão e, consequentemente, maiores e melhores resultados. Neste artigo, vamos entender como o ciclo funciona para que você tenha condições de implementá-lo a sua realidade…

Ciclo PDCA (melhoria contínua)
O PDCA é o acrónimo das palavras inglesas Plan (planejar), Do (fazer), Check (controlar) e Act (agir).
O ciclo começa com o planejamento das atividades que deverão ocorrer em um determinado período e com foco em um objetivo definido. O plano deve prever ainda, quais as variáveis que precisam ser controladas para que o processo possa ser medido e os rumos possam ser corrigidos caso algo esteja errado.
Em seguida, passamos para o momento de execução, no qual o plano é implementado de fato, no mundo real. É claro que transformar uma ideia ou plano em algo real não é lá uma tarefa simples de ser conduzida, certo?
Por conta disso, temos a etapa seguinte que se chama “controle”. A finalidade da terceira etapa é analisar o que está indo bem e o que está indo mal. Estamos diante de uma fase de controle em que tudo é detalhadamente registrado e medido.
Desse modo, com base no que a etapa de controle nos informou, partimos para a quarta etapa do ciclo (Act), que visa implementar, na prática, algumas mudanças necessárias para o aprimoramento.
Porém, o ciclo não acaba aqui, voltando à etapa de planejamento, já que, a esta altura, nosso plano pode precisar de mudanças importantes por conta do impacto sofrido com o teste da realidade.
E assim, reiniciamos todo o ciclo, que nunca terá fim… Daí o nome “melhoria contínua”. Devemos sempre estar em busca de aperfeiçoamento, de forma a aprimorar cada vez mais o serviço que prestamos e os resultados que atingimos.

ciclo-pdca

Algo essencial nos dias de hoje…
Nos dias em que vivemos, a informação e o registro de dados alcançaram uma importância essencial na definição do melhor caminho até o lucro de uma empresa.
Por conta desta constatação, é possível afirmar, sem medo de errar, que o sucesso de uma empresa passa pelo uso de um sistema avançado de gestão (como é o caso do AGIL).
Graças a esta espécie de software, podemos avançar em todas as fases do ciclo de melhoria contínua, já que todas as informações estarão ali registradas em tempo real, com auxílio de relatórios completos sob diversos enfoques.


Planejamento…

A primeira etapa do PDCA é o Plano, mas, como sabemos, muita gente torce o nariz quando falamos de planejamento… Muitas pessoas acreditam que o plano só tem serventia para empresas que estão nascendo. Entretanto, esta é uma noção equivocada…
Com a finalidade de desconstruir este mito, perguntamos: como fazer um planejamento em uma empresa que já está funcionando? Não seria algo como “trocar o pneu com o carro em movimento”? Como implementar esta cultura em uma empresa que está em operação há muito tempo?
Embora a situação pareça muito mais complexa de se implementar no caso de empresas em movimento, o planejamento é universal, é para todos. É possível até afirmar que o planejamento é melhor e mais efetivo no caso de empresas que estão trabalhando a todo vapor, por conta da veracidade das informações que podem ser utilizadas.
Para reforçar o que estamos defendendo, basta refletir sobre as vantagens de se poder criar um plano baseando-se em dados reais de períodos anteriores. Isso é, ou não é, um grande benefício? Lembre-se que empresas novas trabalham apenas com expectativas, enquanto empresas mais consolidadas podem trabalhar com a realidade.
É claro que o que estamos dizendo depende da organização da empresa e da sua capacidade de registrar o que vem acontecendo, processo que é muito facilitado, como vimos, com um software de gestão, como é o caso do AGIL.

xadrez-3

Conclusão
Em suma, com tudo o que analisamos até aqui, podemos afirmar que o melhor caminho até o lucro passa por um inevitável caminho de mudanças, combinado com tecnologia e organização. Pense nisso e coloque, de uma vez por todas, a sua empresa no século em que vivemos, afinal, os resultados que contam são os de hoje, não os que ficaram no passado.

Fonte: DouraSoft